Page Nav

HIDE

Grid

LIST_STYLE

Classic Header

{fbt_classic_header}

Header Ads

GDF Contra a Dengue

Destaques

latest

Mineiros-GO: Base política de Aleomar Rezende (MDB) começa a se desfazer

Em Mineiros, o atual prefeito Agenor Rezende (MDB), no poder há dois mandatos, articula a eleição do seu sobrinho e ex-assessor Aleomar Reze...

Em Mineiros, o atual prefeito Agenor Rezende (MDB), no poder há dois mandatos, articula a eleição do seu sobrinho e ex-assessor Aleomar Rezende. Apesar do apoio de partidos de esquerda e direita, como PT, PCdoB e PSL, o MDB já está perdendo apoios da base. O primeiro e mais expressivo rompante foi com a atual vice-prefeita, Dra. Ivane Campos (PSB)

Foto: Renata Barbosa.

Na manhã desta quinta-feira, dia 17 de setembro, a vereadora Jeane Freitas, também do MDB, divulgou uma carta aberta aos mineirenses. No escrito, a parlamentar, que não vai disputar a reeleição, deixa claro o rompimento com a base Aleomar-Agenor e declara apoio à pré-candidata de oposição, Dra. Flávia (DEM).

Na carta, Jeane revela que nunca teve apoio do atual executivo municipal para seus projetos em prol de melhorias na cidade. “Durante esses oito anos de mandato nunca fui atendida (...) em meus projetos que buscavam melhorias, pois eles não despertavam interesse do atual grupo que está no poder. A eles não interessava ouvir meus eleitores e seus pedidos feitos por mim no exercício do meu papel”, diz. 

Problema da água em Mineiros
Atualmente, Mineiros enfrenta um severo racionamento hídrico. A realidade da falta de água nas periferias chegou ao centro da cidade, impactando principalmente comércios. Por conta da situação, Jeane se diz insatisfeita com os rumos da atual administração pública. 

“Hoje me deparo com consequências tristes de ações tomadas no passado. Posso destacar, por exemplo, o fato de que votei a favor dos investimentos para melhoria da distribuição de água da nossa cidade – o que consequentemente aumentaria o preço – mas com a promessa de investimentos corretos para que não fosse faltar mais água na torneira do mineirense. No entanto, percebemos (inclusive eu) que a falta de água continua sendo uma realidade espalhada por todos os lados de Mineiros, e assim como todos vocês me sinto enganada por falsas promessas de melhoria. Não foi para isso que votei e exerci minha função de vereadora”, pontua Jeane em texto.

Gestão participativa 
Para a vereadora, Mineiros precisa de uma gestão participativa, que saiba ouvir a população. Ela ainda aponta que a tentativa do prefeito em eleger alguém de sua família expressa um claro ataque à democracia. “Me sinto incomodada com o fato de um grupo de poder querer estar à frente da gestão da nossa cidade apenas com membros da própria família. Isso foge do sentido da gestão pública que deve ser impessoal. Com isso, nos deparamos com o risco do ‘coronelismo’ e ‘clientelismo político’, que afetam o processo democrático e travam o desenvolvimento da cidade. Ao mineirense cabe o direito de ter voz para opinar na escolha de um candidato que representa a renovação que nossa cidade tanto necessita”, discorre. 

“O atual processo eleitoral já começou ruim, com velhas práticas de ataque e provocações, com mensagens de difamação à candidata da oposição. Esta prática antiga de querer destruir adversários ao invés de construir a própria imagem só mostra o quanto não há habilidade em dialogar, não há espaço democrático nesse grupo de poder atual, que não escutam a população e que fogem da discussão argumentativa e dos debates políticos realmente saudáveis”, apresenta.

Ao final do texto, a vereadora deixa claro seu apoio à Flávia, por acreditar que a gestão é feita com participação do povo. “Anuncio meu total apoio à eleição da Dra. Flávia como próxima prefeita de nosso município. Acredito no projeto de diálogo e participação popular proposto por ela e pelo pré-candidato José Sávio, bem como nas novas ideias e projetos nas mais diversas áreas para nossa cidade. Acredito que a Dra. Flávia possua grande apoio da população para fazer uma gestão moderna, transparente, participativa e mais eficiente, onde o diálogo será carro chefe de sua atuação”, finaliza o documento.

Nenhum comentário